terça-feira, 28 de julho de 2015

GTE - Esboço Esquemático e Técnicas



Técnicas Utilizadas (inspiradas):

Terapia Espiritual

A Terapia Espiritual baseia-se num conjunto de técnicas alternativas, porém prima pela simplicidade e praticidade com que é desenvolvida, visando um aprendizado sem nenhuma mistificação, nem mitificação. Não se utiliza nenhum tipo de instrumento para isto.
A Terapia Espiritual pode ser perfeitamente conciliada com qualquer outra forma de terapia seja, alternativa ou convencional.
O foco está no conhecimento de si mesmo, do mundo e do Divino, desenvolvendo-se através do discurso, da escuta, da oração e da meditação, com auxílio de técnicas como jejuns e retiros.

Psicanálise
Abordagem elaborada por Sigmund Freud. Um dos princípios dela é a associação livre, processo em que a pessoa é orientada a conversar sobre os mais variados assuntos, sem nenhuma censura, com seu analista. Este, por sua vez, ajudará o analisado a interpretar as informações, de modo a identificar dificuldades emocionais, traumas, medos e inibições. O divã é muito usado nessa terapia, pois impede a troca de olhares — evitando, assim, uma busca por sinais de aprovação ou quaisquer outras reações no rosto do terapeuta. Como o indivíduo passa a conhecer mais sobre si mesmo, ele amadurece emocionalmente e usufrui de mais qualidade de vida.

Junguiana

Conhecida como Psicologia Analítica, essa vertente foi desenvolvida por Carl Jung, um dos discípulos de Freud. Nela, são enfocados aspectos do inconsciente (principalmente os sonhos), assim como pensamentos coletivos que interferem na saúde emocional. Para extrair esses elementos, emprega-se não apenas o diálogo direto, mas também pinturas e diários para o registro de sonhos.

Lacaniana

Variação da psicanálise freudiana. Assim como sua predecessora, utiliza a livre associação para fazer com que o indivíduo reflita e encontre a solução para seus dilemas. Para o analisado, a diferença mais notável entre as duas abordagens diz respeito à duração da consulta: em vez de se pautar nos clássicos 50 minutos, Jacques Lacan (idealizador da abordagem) defendia que cada encontro com o analista deveria se desenvolver a partir de três momentos lógicos fundamentais — Instante de Olhar (que corresponde às entrevistas preliminares), Momento de Compreender e Momento de Concluir. A partir dessa estrutura, o especialista pode fragmentar a sessão conforme a evolução do paciente, fazendo com que ela dure poucos minutos ou mais de uma hora.

TCC

As terapias cognitivo- -comportamentais (TCCs) são voltadas ao combate de problemas específicos (como crises conjugais, timidez excessiva, dependência química, fobia social e crises de ansiedade), bem como auxiliar no tratamento de distúrbios psiquiátricos. Mais objetiva, reúne técnicas comprovadas cientificamente para tratar o problema em questão, as quais podem envolver conversas com pessoas específicas, exercícios de respiração e relaxamento, biblioterapia (indicação de livros), entre muitas outras.

Entrevistas Iniciais
·         
     Primeira conversa – Primeira escuta e explicações 
·         Anamnese
·         Carta Biográfica
·         Devolutiva

Sessões

        

Nenhum comentário: